Uma das maiores preocupações das mães quando o verão chega é com a chamada ‘micose de praia’.
Mas, na verdade, nem tudo que se fala é realidade.
Existem dois tipos mais frequentes das chamadas Micoses Superficiais:

  • Ceratomicoses – que afetam apenas a camada mais superficial da pele;
  • Dermatomicoses – que afetam camadas mais profundas da pele.

As Ceratomicoses são provocadas por um fungo chamado Malassezia furfur e geram a micose Ptiríase versicolor. As pessoas apresentam manchas esbranquiçadas confluentes que aparecem principalmente nas áreas mais oleosas da pele, como couro cabeludo, pescoço, região esternal, face, ombros e escápula.

O fungo que provoca esta micose é saprófita da pele, ou seja, existe praticamente nas pessoas de forma normal, não provocando a doença, o que somente ocorre quando aparecem situações facilitadoras como umidade, temperaturas elevadas e excesso de oleosidade na pele. Por isso, tome mais cuidado no verão.

Crianças dificilmente apresentam esta micose porque somente a partir da adolescência, pela produção aumentada de hormônios, é que a pele fica mais oleosa.

A Ptiriase versicolor , ao contrário do que a maioria das mães acredita, não é transmitida de uma pessoa para outra, mas o ambiente da praia facilita pelo calor, umidade da pele e oleosidade da pele. O uso de buchas para esfregar a pele na hora do banho, junto com uma medicação especifica recomendada por um dermatologista, constituem o tratamento que deve durar de três a quatro semanas.

Já as Dermatomicoses são provocadas por fungos patogênicos, que não são habitantes normais da pele das pessoas como no caso dos fungos anteriores. Por isso, elas são transmitidas de uma pessoa para outra, principalmente roupas, chinelos, bordas de piscina e saunas.

As dermatomicoses também são chamadas de Tineas ou Tinhas e podem acometer o couro cabeludo (provocando queda do cabelo), o corpo, os pés e mãos e as unhas.

Diferentemente das ceratomicoses, estas diminuem na puberdade, pois o excesso de oleosidade da pele idade inibe o crescimento dos fungos que produzem as Tineas. Estes fungos gostam de calor e umidade e, por isso, aparecem muito entre os dedos (frieiras).

As micoses de unhas, muito frequentes, exigem um tratamento demorado. Se for feito o tratamento com remédios orais, o ideal é durar três semanas. Já se for apenas o tratamento com medicação local, é necessário que se trate por seis meses.

Sempre é importante que o médico dermatologista oriente e acompanhe o tratamento.

 

Dr. Mário Novais
Professor de Pediatria da UFRJ
Diretor do Hospital Daniel Lipp

2020 © Copyright - Hospital Daniel Lipp