Não só os adultos que ficam estressados por causa do trabalho e da rotina do dia a dia. A agenda lotada das crianças pode causar o chamado ‘estresse infantil’ em diferentes idades. Confira abaixo por faixa etária:

  • Um recém-nascido prematuro, que necessita ficar afastado da mãe permanecendo numa UTI Neonatal, pode ter problemas futuros de desenvolvimento psicológico, motivado por estresse da doença e da dor de alguns procedimentos. Vale lembrar que, nesse contexto, a UTI Neonatal deve permitir a presença da mãe ao lado do seu filho a qualquer hora do dia para diminuir este estresse (tanto do recém nascido, quanto da mãe).
  • Até os 3 anos de idade, as principais fontes do estresse são do ambiente familiar. Mães que passam a trabalhar fora de casa, hospitalizações por doenças, morte de parentes queridos, mudanças de casa ou mesmo de quartos, nascimento de irmãos e separação de pais são exemplos de fatores estressantes para a criança desta faixa etária.
  • Entre 3 e 6 anos, a principal causa de estresse infantil é o ingresso na escola. Mas, além disso, algumas situações podem contribuir, como o afastamento de uma babá ou empregada que fazia o papel de “mãe substituta”.
  • Dos 6 aos 12 anos, a cobrança excessiva feita por alguns pais e até professores do desempenho escolar e da adequação social da criança é uma das principais causas. Os pais, muitas vezes “ausentes” por estarem envolvidos com seus próprios problemas, querem compensar com a cobrança excessiva, como se um filho que está bem na escola refletisse uma boa educação familiar e suficiente dedicação dos pais. Outros fatores ocasionais podem contribuir para o estresse infantil, como perda de entes queridos e mudanças de residência ou de escolas.
  • Dos 12 aos 17 anos, o contato maior com o meio externo, as situações novas como início de frequência às festas, saídas sem a companhia dos pais, viagens com colegas, modificações físicas no próprio corpo (como o aparecimento de seios ou de menstruação na menina), primeira(o)s namorada(o)s, contato com drogas, além da autocobrança do desempenho escolar e social são os maiores geradores de estresse. Os acidentes próprios ou envolvendo amigos, muito comum nesta faixa etária, também tem um papel importante como gerador de estresse.
  • Dos 17 aos 19 anos, os principais fatores são o pré-vestibular, o ingresso na Universidade, os acidentes, drogas e a autocobrança de desempenho social.

 

Dr. Mário Novais
Professor de Pediatria da UFRJ
Diretor do Hospital Daniel Lipp

2020 © Copyright - Hospital Daniel Lipp